Obra seca e rápida: conheça sistemas construtivos muito eficientes
27 de fevereiro de 2018
Exibir tudo

Sistemas de Construção Otimizados

Empresas apresentam sistemas de construção otimizados

Empresas apresentam processos construtivos racionalizados em evento no Sinduscon-PR

A modernização da construção civil foi amplamente debatida em reunião realizada no Sinduscon-PR, dia 11 de maio. O evento, desenvolvido em parceria com o Jornal Gazeta do Povo, contou com a presença de Marcelo Bergamaschi, diretor-executivo da Jet Casa (de São José do Rio Preto); André Montenegro de Holanda, diretor da Casas Olé (de Fortaleza), e Marcio Conte, consultor da Associação Brasileira de Cimentos Portland ? ABCP, de Curitiba.

Na avaliação do presidente do Sinduscon-PR, Hamilton Franck, com o mercado aquecido e todos os estímulos lançados à construção civil, pensar em industrializar os processos construtivos é urgente e imprescindível para atender toda demanda que virá pela frente, de forma rápida e sustentável.

?O setor já está investindo em qualificação profissional, muitos construtores estão capacitando seus funcionários no próprio canteiro de obras, bem como investindo em novos sistemas construtivos, mais modernos, de forma a elevar ganhos de produtividade, qualidade, prazos e custos?, destaca.

Franck frisa que, ao analisar a realidade dos canteiros de obras nos dias de hoje, é possível perceber as transformações tecnológicas do setor, que já avançou muito nos últimos anos.

?Algumas empresas já estão empregando uma grande variedade de materiais, ferramentas, equipamentos, técnicas especiais, processos construtivos e administrativos mais modernos, contribuindo assim para a melhoria de vários aspectos de organização, que conduzem a uma redução do desperdício?, diz.

Sistema Jet Casa, que fabrica painéis auto-portantes

Cases de sucesso de empresas que investiram em novos processos construtivos, mais otimizados, e que estão se destacando no mercado, ilustraram o evento, como o da Jet Casa, apresentado por Marcelo Bergamaschi, diretor-executivo da construtora.

A empresa desenvolveu um método de fabricação de painéis auto-portantes, usados para os mais diversos tipos de projetos. Seus painéis são estruturados com treliças de ferro (aço) e o fechamento é executado com tijolo cerâmico de oito furos. Os painéis já saem da linha de produção rebocados e com toda a tubulação elétrica e hidráulica embutidas, faltando ao cliente (usuário) apenas a montagem e aplicação dos acabamentos na obra.

?Com este sistema conseguimos minimizar a necessidade de mão de obra especializada em até 45%, pois depois da fabricação apenas precisamos de pessoas para a montagem da casa. Inclusive, 30% são mulheres?, diz Bergamaschi.

Ele ressalta que, com todo este processo industrializado, o cliente do sistema Jet Casa pode contar com uma drástica redução de desperdício, diminuição acentuada de tempo de execução da obra e com facilidade em optar por produtos de alta qualidade que além de assegurarem um alto valor de mercado garantem ainda mais a qualidade do projeto final.

Casas Olé: fabricação por meio de painéis pré-moldados de alvenaria

Na avaliação de André Montenegro de Holanda, diretor da Casas Olé, o sistema construtivo tradicional tem se mostrado pouco eficiente na tentativa de solucionar o problema da baixa produtividade e do baixo controle de qualidade. Por este motivo, a empresa investiu em um novo sistema construtivo, que trata da fabricação e montagem de habitações, com painéis pré-moldados de alvenaria, tijolo cerâmico e argamassa vibrada, onde os mesmos já saem de fábrica rebocados em ambas as faces e com as devidas instalações (elétrica, hidrossanitárias e telefônicas) já implantadas.

?Nosso foco era reduzir custos de produção e tempo de execução de cada unidade habitacional, sem ter de usar materiais diferentes daqueles culturalmente aceitos pelos seus consumidores e pelos agentes financiadores da construção civil no Brasil?, destaca.

O sistema possibilita a construção de casas através de um processo de montagem de paredes pré-moldadas, revelando-se, contudo, um sistema simples, prático e econômico.

?É possível viabilizar a montagem de uma unidade habitacional de 40 metros quadrados de área em apenas dois dias, deixando-a neste período completamente acabada, ou seja, com esquadrias, telhado, pintura e sistemas (hidrossanitário, telefônico e elétrico). Com uma pequena unidade fabril e a baixo custo conseguimos produzir 10 unidades por dia?, diz.

Uma CASA OLÉ consiste, portanto, em um conjunto de paredes pré-fabricadas, montadas sobre blocos também pré-fabricados. As paredes são ligadas e fixadas entre si por um sistema desenvolvido para esse fim, com tratamento (recobrimento) das emendas entre os painéis.

Fonte: Sinduscon-PR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *